Talvez num Aquário.

 Lygia Fagundes Telles

 “- Por que dormi aqui? perguntou Marfa.

Abri os olhos. O passado desapareceu com a rapidez dos vermezinhos que espiavam e se recolhiam nos furos dos livros do sótão. Encolhi as pernas e apoiei o queixo nos joelhos. “Raíza, Raíza!” ele chamara. E embora sua face fosse uma rosa, senti o hálito de hortelã.– Você bebeu demais, não podia voltar daquele jeito para o pensionato. Ela sorriu. Espreguiçou-se.”

                                                   Lygia Fagundes Telles Em Verão no Aquário.

Dica: Jamais deixar de ler a loucura total, lucidez total, vida total, sufoco total, o Total em Verão no Aquário de Lygia Fagundes Telles. Em breve mais detalhes, entre um cigarro e outro.

Fiz uma lista de coisas para postar aqui: selecionei uma poesia, um conto, uma música que ouço sem parar, um trecho de um livro da Lygia Fagundes Telles que estou lendo, também queria falar ou continuar falando sobre a Comunicação e meu ponto de vista, desta vez em análise séria, sobre a gestão que entrará no Cacos na próxima terça-feira, meus problemas socio-politico-afetivo-financeiro-intelectu-sexuais e essas coisas que estão na nossa cabeça diariamente, mas não consigo me decidir. Estive pensando em até escrever sobre minha dificuldade de escrever e usar a vírgual, o hífen e essas coisas que não tinham que existir na língua.

Pois bem, dicidi ouvir música clássica – não consigo diferenciar um Mozart de um Bach, ou melhor, não sei absolutamente nada de música clássica. Nada! Ontem quando cheguei do trabalho, à 1:00h da matina tomei um susto: eu tinha acabado de ganhar um quarto novo. Pois é, a mãe do Felipe, à passeio na capital capixaba, arrumou todas as bagunças: cigarros jogados, roupas sem passar, livros com pó acumulado e coisas desse tipo. Muita porqueira junta, semanas de estudo(?), campanha, sexo de madrugada e discussões sobre as vidas alheias e não tive que pagar por isso, ou melhor, limpar tudo isso.

Acho que não falei sobre o mini-game que comprei, aqueles que as crianças pobres tinham em meados dos anos 90. MUITO legal, muito mesmo. Ele é de plástico verde meio transparente, dá para ver os chips dentro. Coisa legal também é meu conjunto de bonecos assassinos, comprados na Casa e Vídeo, minha banda, The Killers e as réplicas dos carros dos anos setenta. Amo miniaturas e coisinhas assim, frescas.

Sem mais

 

 

Anúncios

3 Respostas para “Talvez num Aquário.

  1. você escreve mole

    eu gosto

  2. É fácil, Haroldo. Bach pertence ao período barroco e Mozart ao período clássico ^_^

  3. huahuahauaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s